PROJETOS EM REDD

Proteção Floresta

Tenha rendimentos com a proteção de florestas
PROJETOS EM REDD – DESMATAMENTO EVITADO 

O sistema de Emissões Reduzidas do Desmatamento e da Degradação (Redd, na sigla em inglês). O desmatamento responde por cerca de 20% das emissões humanas de gases do efeito estufa, especialmente o dióxido de carbono e o metano, derivados da derrubada e queima de florestas.

As florestas tropicais são essenciais também como mananciais hídricos, e funcionam como “pulmões” do planeta ao promover a troca de dióxido de carbono por oxigênio no ar. Além disso, esses espaços contêm riquíssimos ecossistemas, dos quais muitas comunidades indígenas dependem. Pagar pela preservação ajudaria a combater o aquecimento global e a proteger a biodiversidade do planeta.

Objetivos: O objetivo do Redd é pagar para manter as florestas de pé. O pagamento, por meio da venda de créditos de carbono, refletiria o valor do carbono armazenado nas florestas, ou os custos ambientais advindos da extração de madeira e da ocupação agropecuária.

Como funciona? Essencialmente trata-se em usar os créditos como “moeda” com a qual os países em desenvolvimento teriam estímulo para conter o desmatamento, enquanto os países ricos, ao investir nesses mecanismos, ajudariam a cumprir suas quotas obrigatórias de redução de emissões.

Seqüestro de carbono: Os créditos emitidos pela área são a diferença entre o estoque de carbono menos o desmatamento evitado. Para os casos em que existam áreas a serem recuperadas e reflorestadas é feito o projeto a partir do conceito de REDD Plus (conservação, manejo sustentável e enriquecimento de estoques).

Proporção: A quantidade de créditos vária de acordo com a quantidade de carbono estocada na floresta subtraída da taxa de desmatamento da região. Exemplo:

Área Florestal de 10.000 ha com depósitos de carbono de 150 t C/ha

Cenário de Linha de Base:

Desmatamento anual de 1%

Emissões Anuais = área desmatada X depósito de carbono na floresta (CO2)

Projeto REDD

Reduções Anuais do Projeto REED:

Emissões de Linha de Base – Cenário de emissões de REDD

Preço do crédito: U$ 5,00 por crédito ( dependendo da cotação do mercado)

Em caso de desmatamento zero o total nesse exemplo, o projeto conseguiria evitar a emissão de CO2 em 20 anos:

1.000.000 tCo2e

Condições para execução do projeto:
• Somente serão aceitas áreas de florestas nativas;
• Os créditos são a mercadoria a ser negociada, por isso a preservação da floresta será de responsabilidade do proprietário.
• O desmatamento de 100 m2 da área negociada implicará na perda da área;
• Será efetuado um contrato de fidelidade do proprietário durante o período da venda dos créditos (20 a 30 anos);

 

Procedimentos: Após a aprovação da área feita pelo estudo de viabilidade de carbono* conclusiva, a empresa deverá encaminhar todos os documentos para a Green CO2. Através desta documentação será realizado um PDD (Project Design Document) onde a empresa desenvolverá o projeto.

*Estudo de viabilidade de carbono: O Estudo de Viabilidade consistirá na coleta de todos os dados relevantes para a realização de uma análise adequada do projeto e uma estimativa de créditos. As informações serão organizadas e analisadas conforme a estrutura dos Padrões do Mercado Voluntário Florestal. As etapas do estudo é feita da seguinte forma:
a) A coleta de dados e informações para o entendimento do projeto
b) Visita ao local
c) Estudo Estrutural do Mercado Voluntário Florestal
d) Relatório Conclusivo

OBS: O custo do Estudo de Viabilidade, do PDD, Protocolos e as demais despesas é de responsabilidade do Proprietário do imóvel a serem pagas a Green CO2 pela execução do projeto.

Em caso de arrendamento da área ou parceria, o proprietário deverá assinar um contrato durante o período (mínimo de 20) com a Green CO2.

Documentação necessária

Documentos da área a ser preservada:
1. Cópia da matrícula;
2. Cópia da escritura;
3. Foto de satélite da área (latitude e longitude);
4. CCIR.

Seqüestro de Carbono

Documentos da área a ser preservada:
1. Cópia da matrícula;
2. Cópia da escritura;
3. Foto de satélite da área (latitude e longitude);

Documentos do proprietário (no caso de ser tratar de um pacote são necessários os documentos de todos os proprietários):
1. Cópia do cadastro de pessoa física;
2. Cópia do registro geral;
3. Cópia do Imposto de renda;
4. Comprovante de imposto de renda.

Durante o processo será necessário uma procuração do proprietário de 90 dias para protocolar junto ao ministério do meio ambiente a área para a emissão dos créditos. O cliente também irá assinar um contrato de fidelidade durante o período (mínimo de 20 e máximo de 30 anos) o qual ele pretende negociar os seus créditos.

Para maiores informações entre em contato

Translate »